4 de julho de 1776 foi o dia em que treze colónias norte-americanas declararam independência ao império britânico e se proclamaram como “Estados Unidos da América”. Apesar do Congresso, encabeçado pelo presidente John Hancock, ter assinado o documento dois dias antes, a data escolhida celebra o aniversário de uma das nações mais influentes a nível mundial.

Os responsáveis do rascunho que se viria tornar a Declaração da Independência foi escrita pelo “Comité dos Cinco”. Nele faziam parte Thomas Jefferson, Benjamin Franklin, Robert Livingston, John Adams e Roger Sherman.

No total foram 56 representantes das treze regiões que assinaram o documento. Em 1941, em pleno auge da Segunda Guerra Mundial, a data torna-se num feriado federal, sendo que é celebrada de forma efusiva desde então.

Passaram, entretanto, três séculos e independemente se goste ou não, a verdade é que os Estados Unidos se tornaram num dos mais países com maior exportação cultural. A tecnologia, o cinema e, pois claro a música.

Em homenagem à terra do Tio Sam, escolhi quatro músicas que retratam o que é ser “americano” e, na minha opinião pessoal, tornaram o país num local mais respeti. Relativamente aos critérios de escolha, têm que ter “América” no nome do tema e escolhi canções de géneros musicais diferentes.

Eminem – White America

As questões raciais ainda são, em pleno século XXI, uma temática que alimenta ódios e motiva as pessoas de assassinarem outras por terem um tom de pele diferente que o seu. Num meio do hip-hop dominado por “negros”, apareceu um rapper “branco” chamado Eminem capaz de pôr o dedo na ferida e expôs os “podres” numa música. O teledisco feito para acompanhar o tema é igualmente impactante, sendo que hoje em dia, é mais “assustador” por outros motivos (basta ver o vídeo para perceberem).

Guess Who – American Woman

A guerra no Vietname foi um período conturbado na sociedade norte-americana. Apesar da constante ebulição socio-política, os canadianos Guess Who compuseram um tema, que pode ser interpretado como um “ataque” às opções governamentais da época. Fora este significado, é também um exemplo ilustrativo do rock que se fazia nas décadas de 1960 e 1970.

Green Day – American Idiot

Numa veia mais comercial, o trio de punk-rock sempre tiveram um lado político nas suas canções. A faixa «American Idiot», que dá nome ao álbum de 2004, tem a mensagem é mais “directa ao assunto” possível: “Não quero ser um idiota americano”.

Uma crítica genérica, mas, que aos meus olhos, na altura em que era um rapaz adolescente me fez pensar: “hmm. A América pode não ser um país tão perfeito como aparenta ser”.

Simon and Garfunkel – America

Talvez uma das canções mais ricas, no que diz respeito à letra e ao arranjo musical. As harmonias de vozes do duo Paul Simon e Art Garfunkel são responsáveis de criar alguns dos temas mais emblemáticos do cancioneiro folk norte-americano.

Ao longo de quatro minutos da canção, «America» provoca saudade, nostalgia e esperança para um mundo melhor. Escolhi uma versão ao vivo, porque é quando estes sentimentos se manifestam ainda mais. Uma terapia autêntica para os nossos ouvidos.

Uma escolha: João Pardal